quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Preguiça


Preguiça de fazer e preguiça de pensar. A Prefeitura do Recife quando abre uma nova rua, ponte ou viaduto, nunca, nunca! pensa em fazer - concomitantemente - a necessária ciclovia. Há casos, como na ampliação do Viaduto Capitão Temudo, em que nem a calçada é executada. Isso significa que o pedestre, o cidadão, não está convidado a caminhar e cruzar os rios da cidade. É o completo desinteresse pela cidade e a ausência de preocupação com o cidadão. O único interesse é o automóvel. No caso das ciclovias não realizadas temos, por exemplo, a extensão da Av. Beira Rio após o cruzamento com a Ponte da Torre. A nova rua foi construída sem ciclovia. E como se pode ver na figura abaixo, seria muito fácil colocar uma ciclovia ali.

Em verde a possível ciclovia que a preguiça da Prefeitura do Recife não fez.

Vista geral da área - o prolongamento da Avenida Beira Rio - com as setinhas indicando onde deveria haver uma ciclovia.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Bicicleta de carga em Olinda


Bicicletas de carga estão por toda parte na Região Metropolitana do Recife. Ainda compro uma para mim.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Pedal de domingo

Eu, Eliane, Flávio e Jorge Waquim saímos para pedalar com o Pedal Clube neste domingo, começando cedinho às sete horas do Parque da Jaqueira. Seguimos com eles até a Mata de Passarinho, em Olinda. De lá, o Pedal Clube seguiu para a Mirueira em Paulista. Flávio e Eliane estavam achando o ritmo muito forte, então pegamos a Presidente Kennedy e seguimos os três para Olinda. Circulamos pela cidade, passamos na ciclovia da orla - estava acontecendo uma corrida, acompanhamos os corredores - e voltamos para o Parque da Jaqueira pelo Complexo de Salgadinho. Na barraca de frutas da Jaqueira encontramos o Pedal Clube que estava chegando também. Confraternização, cantamos o hino e casa.

Confra do Pedal na Jaqueira (Jorge Waquim, Bigode, Eliane, Odilon e Humberto)

Eliane, Flávio e Bigode em primeiro plano

No Rosarinho

Passando por BH - a Bomba do Hemetério.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Péssimo projeto de bicicleta



Bicicleta projetada por Philippe Starck para a Peugeot e a cidade de Bordeaux. Na minha opinião, um péssimo projeto feito por alguém que não entende como uma bicicleta funciona. Os pedais estão colocados muito para trás afim de dar espaço para aquela plataforma. Portanto, a posição de pedalar vai ser inadequada. Essa plataforma, como a que existe nas scooters é pra quê? Para descansar os pés? Mas os ciclistas descansam os pés nos pedais. É para levar a bicicleta como um patinete? Mas então a perna que dá impulso vai bater nos pedais. A cestinha (cestona) só tem sustentação na parte de trás, portanto com o tempo, a trepidação e a fadiga dos materiais, ela vai se quebrar.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Moda e bicicleta

Na semana da moda de Londres, modelos de uma marca desfilam com bicicletas. Foto de Jonathan Short.


quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Galo na ponte

Na hora do almoço, caminhei pelo centro da cidade para ver as modificações que o carnaval provoca. É bacana ver ruas e pontes interditadas ao tráfego e ocupadas por pessoas que caminham despreocupadamente. Dei uma olhada na montagem do galo e comprei um livro na livraria.



São Paulo terá 3.000 bikes para empréstimo

(Prefeito de São Paulo faz vistoria em ciclovia)

Notícia da Folha de São Paulo: São Paulo terá 3.000 bikes para empréstimo. Em Londres, o sistema de bicicletas públicas é patrocinado pelo Barclays Bank. Em Paris, o Velib é patrocinado pela JCDecaux, empresa de publicidade. Não sei se o Itaú, aqui, vai mesmo arriscar colocar sua marca nessas bicicletas. Ao contrário de Londres e Paris, São Paulo tem um trânsito selvagem, não tem ciclovias suficientes, não tem regras definidas de compartilhamento das vias. Portanto, os acidentes com as bicicletas Itaú vão acontecer. O que eles irão fazer frente a um acidente? Cobrir a marca do Itaú com um pano?
.....................................................................
São Paulo terá 3.000 bikes para empréstimo

Bicicletas estarão em 300 estações integradas com a rede de transporte

Sistema pode ser patrocinado pelo Itaú; proposta para exposição da marca no projeto é analisada pela prefeitura

VANESSA CORREA
DE SÃO PAULO

Primeiro foi no Rio. Agora, São Paulo também terá seu sistema de empréstimo de bicicletas. Serão 3.000 magrelas, distribuídas em 300 estações espalhadas por diversos bairros da cidade.

Hoje, a comissão da prefeitura responsável pela Lei Cidade Limpa, que regula a publicidade externa na cidade, analisa a proposta do Itaú quanto ao uso de sua marca em bicicletas e estações.

O banco confirmou o interesse em patrocinar o sistema, mas não revelou os custos do projeto nem a data em que pretende começar a implantá-lo na cidade.

A localização das estações, ainda não definida, será baseada em um estudo realizado pelo Cebrap (Centro Brasileiro de Análise e Planejamento), que mapeou as melhores rotas para circular de bicicleta em São Paulo.

Segundo a Secretaria Municipal de Transportes, a disposição dos pontos de empréstimo deve ser feita de tal forma que garanta a integração do sistema com a rede de trens, metrô e ônibus.

O primeiro período de uso, cuja duração ainda será definida (deve ficar entre meia e uma hora), será gratuito. Depois disso, paga-se uma taxa.

Com a medida, espera-se garantir a circulação das bicicletas entre usuários e, ao mesmo tempo, permitir que quem for usar a bike para transporte tenha tempo de fazer um trajeto completo -como de casa até uma estação de metrô- sem ter que pagar.

O termo de cooperação entre o Itaú e a prefeitura vai durar três anos, com possibilidade de renovação. A cada ano, uma média de cem estações deve ser instalada.

CONCORRÊNCIA

O Bradesco pretende apresentar um sistema semelhante, mas só no entorno da ciclofaixa de lazer, que funciona aos domingos. A Folha apurou que, depois da proposta do Itaú, o Bradesco estuda ampliar seu projeto.

Prefeitura do Recife sabe queimar dinheiro

Notícia do Jornal do Commércio de Recife. No Recife, a Prefeitura sabe queimar dinheiro, mas não sabe construir ciclovias nem fazer e manter calçadas. Falando nisso, fogos de artifício, deveria ser proibido que qualquer prefeitura desse país miserável gastasse dinheiro, qualquer quantidade, com fogos de artifício.
...........................................................
Recife
Após denúncia da oposição, prefeito João da Costa suspende licitação

Licitação da Fundação de Cultura para contratação de shows pirotécnicos aponta sinais de irregularidades

Pelo segundo ano consecutivo, a Fundação de Cultura da Cidade do Recife (FCCR) voltou a ser alvo de suspeitas de irregularidades às vésperas do Carnaval. Se em 2011 o problema foram os indícios de superfaturamento na compra de lonas para a decoração da festa, desta vez o foco está na contratação de shows pirotécnicos cujo processo licitatório apresenta sinais não só de sobrepreço como de favorecimento à empresa vencedora.

O caso foi levantado, nesta terça-feira (14), pela líder da oposição na Câmara Municipal, Priscila Krause (DEM). Diante dos questionamentos, o prefeito João da Costa (PT) já determinou a suspensão da licitação. A partir das informações publicadas no Portal de Compras da Prefeitura do Recife, a vereadora apontou uma elevação de 219%, em relação ao ano anterior, no valor que seria pago pela FCCR pelo fornecimento de fogos de artifício e realização de shows pirotécnicos. Comparando os dois certames, é possível constatar que a quantidade e as especificações do objeto contratado são idênticas, o que não justifica o aumento de mais de R$ 1 milhão no preço.

Neste ano, o valor homologado na ata de registro de preço – válida por 12 meses – foi de R$ 1,544 milhão contra R$ 484 mil gastos em 2011. “A PCR mudou a forma de se fazer licitação, privilegiando o pregão eletrônico argumentando que traria benefícios ao erário, mas parece que não foi o que aconteceu”, acusou Priscila.

A empresa vencedora dos sete lotes da licitação, da qual participaram quatro concorrentes, foi a Pernambuco Fogos de Artifício LTDA. O JC verificou, no entanto, que a ganhadora está sediada no mesmo endereço da empresa dona do segundo menor lance em todos os lotes do certame, a Piroex Ltda. (Minas Pirotécnica). Com matriz em Minas Gerais, a segunda colocada, conforme consta no seu site, tem filiais em várias capitais. No Recife, ela funciona na Avenida Mascarenhas de Morais, Imbiribeira.

Ao ligar duas vezes para a referida sede das duas empresas, o JC obteve informações desencontradas, mas que indicam a coincidência de endereços. Em uma das ocasiões, um funcionário confirmou que tanto a Pernambuco como a Piroex funcionavam no mesmo local. Logo em seguida, desmentiu a informação e contou que apenas a Piroex estava sediada ali. No segundo telefonema, uma funcionária disse o contrário: que a sede era apenas da Pernambuco, vencedora da licitação.

O JC também observou que as outras duas participantes da concorrência não trabalham com fogos de artifícios. A partir de dados obtidos na internet, é possível perceber que a HJ Comercio e Le Canard Empreendimentos pertencem ao ramo de combustíveis e terceirização de mão de obra, respectivamente. Além disso, chama a atenção o valor dos lances dados pelas duas empresas. Em seis lotes, cada uma repete o lance de R$ 1 milhão e R$ 5 milhões, bem acima dos preços homologados em cada uma das etapas.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

No caminho

Indo para o trabalho de bicicleta. Todos os dias. Recife é uma cidade selvagem e seus motoristas são analfabetos. Indo para o trabalho de bicicleta e fotografando o caminho.

Entre o Parque da Jaqueira e o Rio Capibaribe.

Na rua Fernandes Vieira. Olha aquilo que a Prefeitura chama de calçada mas que não serve para nada.

Calçadas são obrigação da Prefeitura em qualquer lugar civilizado. Na selva do Recife, o prefeito não quer saber de calçadas.

O céu que os motoristas não vêem.

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Tá Maluco

.
Carnaval 2012, Bloco Tá Maluco, Olinda.

Mais uma vez Suape

Mais uma vez Suape, mais uma vez Bar do Doido e aquela circulada pelo Cabo acidente geográfico de Santo Agostinho. Apesar de já termos repetido esse passeio várias vezes, é sempre um excelente passeio. Desta vez, tivemos um motivo a mais para refazer esse trajeto. Nosso amigo Jorge Waquim não conhecia o Bar do Doido e pediu para ser introduzido na região (sem má intenção). Eu e Jorginho nos encontramos na Torre e pedalamos até Boa Viagem onde encontramos Flavinho e Pedrinho. De lá, seguimos diretinho para o Doido, depois passamos por Suape, Paraíso, Calhetas, descemos a pedra de Gaibu e voltamos para o Recife. Fotos a seguir.







sábado, 11 de fevereiro de 2012

Carga pesada

Uma bicicleta carregada circulando pelas ruas (sem calçamento) do Cabo de Santo Agostinho, Região Metropolitana do Recife.



quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Alyssa Bustamante

JEFFERSON CITY, Mo. (AP) — A central Missouri teenager who confessed to strangling, cutting and stabbing a 9-year-old girl because she wanted to know how it felt to kill someone was sentenced Wednesday to life in prison with the possibility of parole. Alyssa Bustamante, 18, pleaded guilty in January to second-degree murder and armed criminal action in the October 2009 slaying of Elizabeth Olten in St. Martins, a small rural town west of Jefferson City. The judge also ordered the teen to serve a consecutive 30-year term in the armed criminal action charge. Bustamante was 15 years old when she confessed to strangling Elizabeth, repeatedly stabbing her in the chest and slicing the girl's throat. She led police to the shallow grave where she had concealed Elizabeth's body under a blanket of leaves in the woods behind their neighborhood. With her hands shackled to her waist and her feet shackled together, Bustamante rose and faced Elizabeth's mother and siblings before she was sentenced Wednesday. "I know words," she said, pausing to take a deep breath and struggling to compose herself, "can never be enough and they can never adequately describe how horribly I feel for all of this." She added: "If I could give my life to get her back I would. I'm sorry." Elizabeth's mother, Patty Preiss, who on the first day of Bustamante's sentencing hearing called her "an evil monster" and declared that she "hated her" sat silently, staring forward during Bustamante's apology. The Olten family declined to comment to reporters, as did Bustamante's family. Bustamante had been charged with first-degree murder and by pleading guilty to the lesser charges she avoided a trial and the possibility of spending her life in an adult prison with no chance of release. The teenager's defense attorneys had argued for a sentence less than life in prison, saying Bustamante's use of the antidepressant Prozac had made her more prone to violence. They said she had suffered from depression for years and once attempted suicide by overdosing on painkillers. But prosecutors sought a longer sentence. They noted that Bustamante had dug two graves several days in advance, and that on the evening of the killing had sent her younger sister to lure Elizabeth outside with an invitation to play. Missouri State Highway Patrol Sgt. David Rice testified that the teenager told him "she wanted to know what it felt like" to kill someone. Prosecutors also cited journal entries in which Bustamante described the exhilaration of killing Elizabeth. "I strangled them and slit their throat and stabbed them now they're dead," Bustamante wrote in her diary, which was read in court by a handwriting expert. "I don't know how to feel atm. It was ahmazing. As soon as you get over the 'ohmygawd I can't do this' feeling, it's pretty enjoyable. I'm kinda nervous and shaky though right now. Kay, I gotta go to church now...lol." Bustamante then headed off to a youth dance at her church while a massive search began for the missing girl.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Gelo

Minha cidade querida estava assim congelada hoje. Foto de Margriet Faber.


quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Corpo 2.0 - Body 2.0

Parece até arte contemporânea - e é possível dizer que é uma obra de arte da medicina. É a mandíbula artificial, desenvolvida pela Universidade Biomédica Hasselt, em Diepenbeek (Bélgica). No futuro, poderemos trocar o corpo velho por um corpo novinho, o Corpo 2.0. Who wants to live forever?